08/08/2017

Dunkirk - Crítica (Sem spoiler)


Olá galera, aqui é o Gustavo do canal A Cantina de Star Wars.

Sou um grande fã do Christopher Nolan (A Origem, Interestelar, O Grande Truque e a trilogia Batman - O Cavaleiro das Trevas), a expectativa para ver o seu novo projeto era muito grande, agora sem ficção científica, super-herói ou mágica, primeiro trabalho do diretor em uma história real e um filme de guerra, um projeto mega desafiador, mas o que é um desafio para Christopher Nolan?

A história retratada no filme é o resgate das tropas inglesas na praia de Dunkirk durante a Segunda Guerra Mundial, onde foram cercados, junto dos franceses, por tropas alemãs, o filme mostra a história de três pontos de vistas diferentes: do mole (na praia), do mar e do ar, onde mostra os esforços dos soldados para deixar a praia e a ajuda que receberam durante o resgate.


O clima é tenso desde a primeira cena, o filme não tenta construir uma história pra criar um ápice nos atos finais, ele começa dizendo o que está acontecendo e te joga pra história, ele não desenvolve os personagens, não tem muitos diálogos, não tenta transformar um personagem em um herói de guerra, esse filme foge de todos os padrões estabelecidos de filmes de guerra.

A direção do Nolan é espetacular! Como diretor, foi o seu melhor trabalho, constrói uma excelente história, fugindo do seu próprio padrão de começar um filme de forma frenética e depois vir um segundo ato explicativo, onde o filme é frenético do começo ao fim, não tem como dividir em atos, não possuí uma história enigmática ou um plot-twist no final, único padrão que Nolan mantém são os atores Cillian Murphy e Tom Hardy (ambos estiveram em A Origem e na trilogia do Batman), até Michael Caine ficou de fora. Nolan continua ousado em não usar tecnologia de ponta e CGI em seus filmes, ainda preferindo fazer filmes "à moda antiga", usou aviões e barcos de verdade, muitos até foram realmente usados no resgate na praia de Dunkirk, a realidade desse filme é fantástica, é praticamente um documentário com dramaticidade.


O elenco em si não se destaca pelo fato do filme não ter um personagem principal, mas as atuações são boas, Cillian Murphy manda muito bem como soldado traumatizado, mas todos os destaques desse filme são técnicos: a trilha sonora de Hans Zimmer é espetacular, acrescenta muito no suspense e agonia do filme; é forte candidato a ser indicado a diversas categorias técnicas no Oscar, como melhor fotografia, melhor edição, melhor som, melhor edição de som, melhor figurino, melhores efeitos visuais, melhor trilha sonora, melhor roteiro original e melhor diretor, quem sabe até melhor filme.

Não foi meu trabalho favorito do Nolan, mas com certeza é um dos melhores filmes do ano, é um filme simples, não é muito longo, sem muitos detalhes para se apegar, mas exige muita atenção de quem assiste, com certeza esse filme não agradará o público em geral, pra gente (mal) acostumada com blockbusters, por não conter muita ação, nenhum romance ou exagero no drama, é um longa que tenta ser o mais real possível, por isso é inovador e Christopher Nolan está de parabéns, vale a pena conferir.

Dunkirk (Dunkirk, 2017)
Direção: Christopher Nolan
Elenco: Fionn Whitehead, Tom Glynn-Carney, Jack Lowden, Harry Styles, James D'Arcy, Kenneth Branagh, Cillian Murphy, Mark Rylance e Tom Hardy.

Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram

Siga por e-mail

Receba nossas novidades por e-mail!

Delivered by FeedBurner